22 de ago de 2013

TEXTOS EXERCICIOS DAS OFICINAS DE LITERATURA



Dinâmica: Reescrever o poema narrativo Balada das mocinhas de Botafogo, de Vinícius de Moraes, inventando outro desfecho.

Saga das meninas - Geraldo Batista

Eram duas menininhas 
Filhas de boa família:
Uma chamada Marina
A outra chamada Marília.
Os dezoito da primeira
Eram brejeiros e finos
Os vinte da irmã cabiam
Numa mulher pequenina.
Sem terem nada de feias 
Não chegavam a ser bonitas
Mas eram meninas-moças
De pele fresca e macia.
O nome ilustre que tinham
De um pai desaparecido
Nelas deixara a evidência
De tempos mais bem vividos.
A mãe pertencia à classe
Das largadas de marido
Seus oito lustros de vida
Davam a impressão de mais cinco.
Sofria muito de asma
E da desgraça das filhas
Que, posto boas meninas
Eram tão desprotegidas
E por total abandono
Davam mais do que galinhas.

E dentro da casa aquela
Mãe pobre e melancolia.
Quando à noite as menininhas
Se aprontavam pra sair
A loba materna uivava
Suas torpes profecias.

De fato deve ser triste
Ter duas filhas assim
Que nada tendo a ofertar
Em troca de uma saída
Dão tudo o que têm aos homens:
A mão, o sexo, o ouvido
E até mesmo, quando instadas
Outras flores do organismo.
Foi assim que se espalhou
A fama das menininhas
E foi assim que encontraram
aqueles dois rapazolas
se gostarem e se enamoraram
Marina e Marília
Uma gostou do João a outra do Jesse
amor a primeira vista
você sabe como é
se prometeram em casamento
e para a sorte das meninas
deu tudo em papa fina
Marina ficou com João
Marília com Jesse
os dois tiveram filhos
Marina e João, tiveram Miura
Marília e Jesse tiverem José
Foram felizes para sempre
Veja a sorte como é

OFICINA DE LITERATURA - REGIÃO CRISTAL - CLUBE DE MÃES DO CRISTAL 
OFICINEIRO DIEGO PETRARCA

MAIS TEXTOS DAS OFICINAS DE LITERATURA



Dinâmica: Um objeto que narra a história.

Os Pêlos - Helena Braga

Numa tarde de domingo pela janela, voo,  somos muito iguais,  saímos da cama , do sofá passamos entre as frestas das cortinas, vamos e direção ao sol, o vento nos traz de volta rolamos parta os cantos da sala, e lá vem a vassoura nos empurra escada abaixo entre um degrau e outro. Me vejo nos espelhos. Uma cor bege dourada se confunde com o brilho do sol e a vassoura não consegue nos pegar.

- Ai! lá vem a máquina do inferno sugando tudo que vem pela frente. 

Sei que muitos nos detestam, mas aqui estamos e estaremos em toda parte e em toda casa que tiver um bicho chamado cachorro.

OFICINA DE LITERATURA - REGIÃO SUL - VILA DOS PESCADORES
OFICINEIRO DIEGO PETRARCA

8 de ago de 2013

OFICINA DE CAPOEIRA - REGIÃO CRISTAL

 APRENDENDO A TOCAR BERIMBAU)

"A madeira é biriba, é madeira de Lei,
E já tá em extinção no Brasil que eu sei...
Berimbau é o Axé, alma da Capoeira,
E a alma da mata é a madeira..."
(Autora: Maíra Lopes de A. - Professora Janaína)



TREINO / ALONGAMENTO

"É bonito ver,
Encanta no olhar...
Capoeira pra ser bom,
Nunca para de treinar..."
(Autora: Maíra Lopes de A. - Professora Janaína)


 EXECUTANDO UMA ARMADA, COM A PERNA ALTA

"Foi o meu Mestre guerreiro,
Que me ensinou a jogar...
A levantar da rasteira,
Seguir em frente e lutar..."
(Autora: Maíra Lopes de A. - Professora Janaína)




GINGANDO, EM UM JOGO

"Balança ê, eê
Balança ê que eu quero ver...
Solta a mandinga, vem balançar,
Capoeira é cultura popular...
Balança ê, eê
Balança ê que eu quero ver..."
(Autora: Maíra Lopes de A. - Professora Janaína)

6 de ago de 2013

Dinâmica - Objeto narrador: Xícara



Oficina literatura Vila dos Pescadores
Dinâmica  - Objeto narrador: Xícara
Pertencia a uma família nobre, que me dava o devido valor. Tinha um lugar de destaque, o melhor da sala, a cristaleira. Dali, saía nas tardes de domingo, para preencher as tardes de belas senhoras, onde sempre ouvia elogios à minha beleza.
Uma porcelana de bordas douradas, com lindas flores pintadas a mão.
Sempre fui bela, e apesar do tempo passado ainda tenho um pouco de beleza, mas hoje já não circulo pelas altas rodas.
Hoje, estou aqui em um brechó qualquer, no aguardo, por uma pessoa, que talvez não me dê valor, mas tenho esperança de ser resgatada por uma senhorinha que saberá reconhecer minha fineza.
Quem sabe, me recolocar nas rodas de uma bela tarde de domingo, preenchida com o melhor chá inglês.
Jane Rosa

Dinâmica: Apelo por uma causa que considere importante. Jovens



Oficina Literatura Cristal

Dinâmica: Apelo  por uma causa que considere importante.

Jovens

Prezados governantes, venho fazer um apelo, para que não esqueçam dos jovens, pois eles são o presente e o futuro do país. Temos que incentivar e descentralizar a cultura, para que todos possam ter participação ativa na sociedade e dela participar dos eventos culturais, pois só assim teremos uma sociedade sadia e culta.

Todos devem ter oportunidade através de eventos, tomar conhecimento e participar dos mesmos. Só assim aprenderão o que é viver em uma sociedade civilizada e não ser marginalizada. O dever que o estado tem para com a população jovem principalmente é levar conhecimento e cultuar a todos  os cantos de um estado e cidade para que não seja danificada em seu patrimônio sócio cultural.

 Somente através de programas culturais que os jovens dos a longínquos locais de nossa sociedade terão conhecimento de como preservar o que é seu e ter a sabedoria de como ser um jovem útil ao meio em que vive. Não ter acesso a novos conhecimentos, ou seja, ensino e cultura, que é uma responsabilidade de todos os governantes para com o nosso jovem, é a irresponsabilidade por parte de que governa e dirige o estado e o país.

Terezinha Rangel