20 de set de 2010

Oficinas de fotografia

Oficinando Bruno, na Associação Laranjeiras,
fotografado por um colega durante atividade na oficina.


OFICINA: A fotografia como linguagem e expressão
oficineira: Tatiana Klafke

premissas:
_ elementos básicos da fotografia.
_ fotografia como linguagem e expressão.
_ instrumentalizar para a observação, compreensão e expressão visual.
_ um olhar para si, para o outro e para o meio de convivência social.

Onde: Escola Estadual de Educação Básica Gomes Carneiro
Praca Paulo de Aragao Bozano, S/N
Vila Ipiranga - Porto Alegre
Todos os Sábados das 14h às 17h
endereço do blog: http://oficina-de-fotografia.blogspot.com/

Associação dos Moradores do Parque das Laranjeiras
Rua Gen. Sady Cahem Fischer, Acesso 4, N. 03.
Rubem Berta - Porto Alegre
Todas as quintas das 14h e 30min às 17h e 30min

19 de set de 2010

Diário das aulas de artes visuais - Profe Luisa Gabriela





Exercício de desenho de observação com as turminhas da Vila do Campinho e da Vila dos Canudos

Uma atividade bastante interessante para todos foi o exercício de observação de "natureza morta". A natureza morta é um tema das artes visuais bastante tradicional. É, depois do Renascimento que o interesse pelo cotidiano na arte se projeta e o olhar do artista se volta para as coisas banais do cotidiano burguês. As frutas, vasos, uma mesa posta que serve de modelo para o exercício da pintura e até hoje - na pós-modernidade também são tema de artistas que extrapolam os seus limites da pintura ou do desenho.

Nesse exercício, inspirado pela minha experiência como aluna da Professora Umbelina Barreto - do Instituto de Artes da UFRGS, nós temos um modelo de frutas variadas, um grande papel que ficou colocado no chão e muita observação.

A atividade inicia com uma brincadeira de adivinhação através do tato - onde as crianças tinham que tocar nas frutas - sem vê-las e adivinhar seus nomes. Depois dessa divertida brincadeira nós cheiramos todas as frutas: abacaxi, maças, bananas, carambolas, bergamotas e etc. Depois então partimos para os desenhos. E, finalmente, a degustação. Foram alternados os desenhos de observação e a degustação das frutas, até que o desenho estivesse terminado e as frutas também.

Abaixo algumas fotos das atividades realizadas na Vila do Campinho (Cruzeiro) e na Vila dos Canudos (Glória) - respectivamente:


















15 de set de 2010

ORÇAMENTO PARTICIPATIVO DO CORPO

Demandas ou Orientações básicas de movimentos para se fazer em casa com segurança, alegria para gerar um bem-estar.
Observações preliminares:
Se for trabalhar em pé, sempre as pernas paralelas em relação às duas cinturas.
Se for trabalhar sentado, sempre, sentado nos ísquios.(os pés do quadril) Se for trabalhar deitado, primeiro colocar o quadril em forma, ou seja. Deitar o corpo todo, flexionar uma perna e depois a outra, nunca as duas juntas e trazer, uma e depois a outra, para cima da barriga, os joelhos tem que estar paralelos ao teto, depois disso, um leve movimento com as pernas de um lado para o outro, quase imperceptível.
Não esqueça; nunca trabalhar o lado do corpo que está com dor primeiro.
Muito importante também: cabeça para um lado e para o outro. Mas isso, só depois que tiver feito algum movimento. Uma boa dupla é automassagem cavidade axilar e cabeça.
Movimentos que rapidamente geral um bem-estar:
Automassagem na cavidade axilar. Atenção: o bom é fazer um braço e depois o outro, só depois fazer os dois juntos.
Braços: rotação interna dos mesmos. Sempre um e depois outro. Se der, depois, os dois juntos. Cabeça é bem vinda também. (para ficar claro, rotação interna é quando o cotovelo vai para fora)
Automassagem nos joelhos, sempre sentado nos ísquios e sempre de dentro para fora. Importante, este movimento também mexe muito com as escápulas, gerando também um bem-estar nos braços.
Movimentos relacionados ao nosso primeiro e mais importante encurtamento:
O importante é crescer os ísquios-tibiais, músculos que começam no calcanhar e terminam na fossa poplítea, ou seja, atrás do joelho.
Sentado: (nos ísquios, é claro), arrasta um pé para frente, os dedos em direção ao teto e o calcanhar rente ao chão... Uma perna de cada vez.
Também sentado, pernas cruzadas, automassagem na batata da perna, sempre do calcanhar para o joelho, volta pelo ar. Atenção: este movimento também pode ser feito deitado.
Deitado, também podemos “crescer” esta região, fazendo assim: uma perna flexionada, ou seja, um pé está no chão e a outra perna está esticada, os dedos dos pés estão paralelos ao teto. Fazer uma boa alça, que é cruzar os dedos atrás do joelho, fazendo uma sustentação para a perna aí então, pé em gangorra, ora sobe os dedos, ora sobe o
calcanhar, parar quando tiver dor, descansar e se der, fazer mais um pouco.
Rebolar, eis a questão; sempre pequeno e discreto. Pés paralelos.
Perceber o que é frente, lado, trás e lado.
Talvez o mais importante de tudo, é saber que nesta técnica, neste conhecimento não há especificamente movimentos abdominais, porque tudo é abdominal, isso quer dizer o seguinte: expiração, ou seja, tirar o ar velho do corpo é sinônimo de entrar, endurecer, a parte baixa da barriga, ou melhor, o baixo ventre, que vai do púbis até o umbigo. O que queremos é tirar um pouco do peso das costas e dividi-lo com a parte anterior do corpo, especificamente com o baixo ventre.
Grande e pequeno enrolamento ou alongamento; um é sentado, menos exigente, trabalha mais os braços, o outro é em pé, e trabalha a coluna toda, cilada: os joelhos
tem que estar sempre ajudando, ou seja; não fazer com a perna esticada Outra dica super importante; sempre que for trabalhar deitado, uma perna sempre terá que estar
Flexionada, (isso quer dizer, pé no chão) para dar mais apoio a lombar.

Bia Diamante

11 de set de 2010

Painel coletivo, desde a comunidade. Vila do Campinho e Vila Cruzeiro



Acima, algumas fotografias das crianças fazendo o seu primeiro painel coletivo. Trabalhamos com tinta têmpera e com a temática da comunidade. Depois de alguns percursos pela comunidade, o desenho de observação das casas e do entorno, nós fomos para a construção do painel. Acima imagem dos alunos da Vila do Campinho - Na Cruzeiro e abaixo os alunos da Vila dos Canudos - no Bairro Glória.




1 de set de 2010

O Clube de Mães do Cristal preparou uma visita especial no Hospital Santo Antônio da Criança de Porto Alegre. Nesse 2° ano da oficina de Música com a professora Grasiela Müller, o grupo vem investindo em novos desafios musicais e fomento do projeto. Acreditam que o beneficio é mútuo e por isso vem projetando os resultados das oficinas em apresentações descentralizadas do bairro, atigindo assim, um maior público.
A apresentação no Hospital surgiu com o pretesto de sensibilizar o espaço através da música e estimular o grupo através dos resultados. Foi uma experiência mágica. Melodias transitavam nos corredores junto com as crianças, pais e profissionais da saúde. O repertório apresentado foi voltado ao universo lúdico da criança. Músicas como A Pulga, Sereia, Tem Gato na tuba e o Trenzinho Caipira trouxeram a tona a imaginação e a proposta de transcender espaços e conretizar a função da Arte.

video