8 de nov de 2010

COMUNICAÇÃO COMUNITÁRIA

A oficina de Comunicação Comunitária, desenvolvida pelo oficineiro Rodrigo Ramos na Região Nordeste, teve como objetivo trabalhar a construção dos gêneros discursivos: notícias, entrevistas, roteiro de entrevistas e artigos de opinião.

Na primeira etapa, o suporte/mídia focalizado foi o jornal impresso. A partir de outubro, foi focalizada a rádio web, em que foram - e ainda estão sendo - trabalhados o roteiro de programação, roteiro de entrevista, a construção do blog e a divulgação.

A seguir, a primeira parte de uma entrevista realizada pelos participantes.



Para ouvir a continuação do programa, acesse: www.ongsuve.blogspot.com

19 de out de 2010



8ª SEMANA MUNICIPAL DE CAPOEIRA

A Prefeitura Municipal de Porto Alegre realizará em 27 a 31 de outubro a 8ª Semana Municipal de Capoeira, quando estarão reunidos capoeiristas e comunidade em geral, sem distinções de estilo, escola ou linhagem, num espaço democrático de discussão e reflexão sobre a capoeira em seus diversos aspectos.

A proposta de realização da 8ª Semana Municipal de Capoeira de Porto Alegre é debater abertamente com a comunidade da área sobre as questões esportivas e culturais dessa atividade, além da discussão referente à própria tradição da capoeira. Na ocasião, em conjunto, tentaremos responder, entre outras perguntas, uma que é fundamental: quais os caminhos que hoje devemos seguir para a maior expansão da capoeira na nossa comunidade?

Além disso, o evento colocará em destaque - como questão pontual – a formação e formatação de projetos para os diversos editais do MINC e para o FUMPROARTE.
Sergius Gonzaga

Secretário Municipal da Cultura

PROGRAMAÇÃO 8ª SEMANA DE CAPOEIRA



27 / 10 QUARTA FEIRA
SALA PF GASTAL / 3º ANDAR USINA DO GASOMETRO

Abertura -19h
Fala das autoridades
Exibição do filme: Maré Capoeira
Palestrante local tema: relacionando a capoeira com a tradição - Professora Didi

28/10 QUINTA FEIRA
SALA ALVARO MOREYRA / CENTRO MUNICIPAL DE CULTURA

Workshop MINC
19h às 22h Rosane Dalsasso
Formação e formatação de projetos para os diversos editais do MINC

OBS: essa atividade será aberta a todos os seguimentos culturais e interessados.

29/10 SEXTA FEIRA
SALA PF GASTAL / 3º ANDAR USINA DO GASOMETRO

Demonstração e debate sobre capoeira Angola – Mestre Michel -19h
Demonstração e debate sobre capoeira Luta - Mestre Gavião – 20h 30min

30/10 SABADO
SALA PF GASTAL / 3º ANDAR USINA DO GASOMETRO

Federação Riograndense de Capoeira debate com o tema:                                       a profissionalização da capoeira.
Qual o Papel da Federação -10h 12h



Workshop FUMPROARTE
14h às 16h Alexandre Silva
Formação e formatação de projetos para os diversos e dital do FUMPROARTE

OBS: essa atividade será aberta a todos os seguimentos culturais e interessados.

31/10 DOMINGO
SALA PF GASTAL / 3º ANDAR USINA DO GASOMETRO

Mesa de avaliação e encaminhamentos sala P.F. Gastal – 14h

Roda dos Mestres – estacionamento da Usina do Gasômetro – 16h


Coordenação Geral
Lutti Pereira / SMC

Comissão Organizadora PMPA
Gilberto Pacheco / SMC
Silvio Leal / SMC

Comissão Organizadora Capoeiristas
Juliana Camargo (Dibarros)
Jefferson Silva (Mano)

16 de out de 2010

Oficina de Teatro no bairro Cavalhada










Oficina de teatro
no bairro Cavalhada
oficineira Maria Amélia

Começamos com diferentes formas de improvisação em teatro. Já improvisamos a cena "As Duas Moedas" que é um trecho da peça "Maligno Baal, o associal" de Bertolt Brecht. Além de criar possibilidades diferentes para uma mesma cena, o grupo agora experimenta formas de interagir com os espectadores.




O grupo é formado por 20 jovens entre os 14 e os 18 anos de idade.
A oficina acontece todas as sextas-feiras das 18h às 20h na
Escola Estadual Roque Gonzales.

20 de set de 2010

Oficinas de fotografia

Oficinando Bruno, na Associação Laranjeiras,
fotografado por um colega durante atividade na oficina.


OFICINA: A fotografia como linguagem e expressão
oficineira: Tatiana Klafke

premissas:
_ elementos básicos da fotografia.
_ fotografia como linguagem e expressão.
_ instrumentalizar para a observação, compreensão e expressão visual.
_ um olhar para si, para o outro e para o meio de convivência social.

Onde: Escola Estadual de Educação Básica Gomes Carneiro
Praca Paulo de Aragao Bozano, S/N
Vila Ipiranga - Porto Alegre
Todos os Sábados das 14h às 17h
endereço do blog: http://oficina-de-fotografia.blogspot.com/

Associação dos Moradores do Parque das Laranjeiras
Rua Gen. Sady Cahem Fischer, Acesso 4, N. 03.
Rubem Berta - Porto Alegre
Todas as quintas das 14h e 30min às 17h e 30min

19 de set de 2010

Diário das aulas de artes visuais - Profe Luisa Gabriela





Exercício de desenho de observação com as turminhas da Vila do Campinho e da Vila dos Canudos

Uma atividade bastante interessante para todos foi o exercício de observação de "natureza morta". A natureza morta é um tema das artes visuais bastante tradicional. É, depois do Renascimento que o interesse pelo cotidiano na arte se projeta e o olhar do artista se volta para as coisas banais do cotidiano burguês. As frutas, vasos, uma mesa posta que serve de modelo para o exercício da pintura e até hoje - na pós-modernidade também são tema de artistas que extrapolam os seus limites da pintura ou do desenho.

Nesse exercício, inspirado pela minha experiência como aluna da Professora Umbelina Barreto - do Instituto de Artes da UFRGS, nós temos um modelo de frutas variadas, um grande papel que ficou colocado no chão e muita observação.

A atividade inicia com uma brincadeira de adivinhação através do tato - onde as crianças tinham que tocar nas frutas - sem vê-las e adivinhar seus nomes. Depois dessa divertida brincadeira nós cheiramos todas as frutas: abacaxi, maças, bananas, carambolas, bergamotas e etc. Depois então partimos para os desenhos. E, finalmente, a degustação. Foram alternados os desenhos de observação e a degustação das frutas, até que o desenho estivesse terminado e as frutas também.

Abaixo algumas fotos das atividades realizadas na Vila do Campinho (Cruzeiro) e na Vila dos Canudos (Glória) - respectivamente:


















15 de set de 2010

ORÇAMENTO PARTICIPATIVO DO CORPO

Demandas ou Orientações básicas de movimentos para se fazer em casa com segurança, alegria para gerar um bem-estar.
Observações preliminares:
Se for trabalhar em pé, sempre as pernas paralelas em relação às duas cinturas.
Se for trabalhar sentado, sempre, sentado nos ísquios.(os pés do quadril) Se for trabalhar deitado, primeiro colocar o quadril em forma, ou seja. Deitar o corpo todo, flexionar uma perna e depois a outra, nunca as duas juntas e trazer, uma e depois a outra, para cima da barriga, os joelhos tem que estar paralelos ao teto, depois disso, um leve movimento com as pernas de um lado para o outro, quase imperceptível.
Não esqueça; nunca trabalhar o lado do corpo que está com dor primeiro.
Muito importante também: cabeça para um lado e para o outro. Mas isso, só depois que tiver feito algum movimento. Uma boa dupla é automassagem cavidade axilar e cabeça.
Movimentos que rapidamente geral um bem-estar:
Automassagem na cavidade axilar. Atenção: o bom é fazer um braço e depois o outro, só depois fazer os dois juntos.
Braços: rotação interna dos mesmos. Sempre um e depois outro. Se der, depois, os dois juntos. Cabeça é bem vinda também. (para ficar claro, rotação interna é quando o cotovelo vai para fora)
Automassagem nos joelhos, sempre sentado nos ísquios e sempre de dentro para fora. Importante, este movimento também mexe muito com as escápulas, gerando também um bem-estar nos braços.
Movimentos relacionados ao nosso primeiro e mais importante encurtamento:
O importante é crescer os ísquios-tibiais, músculos que começam no calcanhar e terminam na fossa poplítea, ou seja, atrás do joelho.
Sentado: (nos ísquios, é claro), arrasta um pé para frente, os dedos em direção ao teto e o calcanhar rente ao chão... Uma perna de cada vez.
Também sentado, pernas cruzadas, automassagem na batata da perna, sempre do calcanhar para o joelho, volta pelo ar. Atenção: este movimento também pode ser feito deitado.
Deitado, também podemos “crescer” esta região, fazendo assim: uma perna flexionada, ou seja, um pé está no chão e a outra perna está esticada, os dedos dos pés estão paralelos ao teto. Fazer uma boa alça, que é cruzar os dedos atrás do joelho, fazendo uma sustentação para a perna aí então, pé em gangorra, ora sobe os dedos, ora sobe o
calcanhar, parar quando tiver dor, descansar e se der, fazer mais um pouco.
Rebolar, eis a questão; sempre pequeno e discreto. Pés paralelos.
Perceber o que é frente, lado, trás e lado.
Talvez o mais importante de tudo, é saber que nesta técnica, neste conhecimento não há especificamente movimentos abdominais, porque tudo é abdominal, isso quer dizer o seguinte: expiração, ou seja, tirar o ar velho do corpo é sinônimo de entrar, endurecer, a parte baixa da barriga, ou melhor, o baixo ventre, que vai do púbis até o umbigo. O que queremos é tirar um pouco do peso das costas e dividi-lo com a parte anterior do corpo, especificamente com o baixo ventre.
Grande e pequeno enrolamento ou alongamento; um é sentado, menos exigente, trabalha mais os braços, o outro é em pé, e trabalha a coluna toda, cilada: os joelhos
tem que estar sempre ajudando, ou seja; não fazer com a perna esticada Outra dica super importante; sempre que for trabalhar deitado, uma perna sempre terá que estar
Flexionada, (isso quer dizer, pé no chão) para dar mais apoio a lombar.

Bia Diamante

11 de set de 2010

Painel coletivo, desde a comunidade. Vila do Campinho e Vila Cruzeiro



Acima, algumas fotografias das crianças fazendo o seu primeiro painel coletivo. Trabalhamos com tinta têmpera e com a temática da comunidade. Depois de alguns percursos pela comunidade, o desenho de observação das casas e do entorno, nós fomos para a construção do painel. Acima imagem dos alunos da Vila do Campinho - Na Cruzeiro e abaixo os alunos da Vila dos Canudos - no Bairro Glória.




1 de set de 2010

O Clube de Mães do Cristal preparou uma visita especial no Hospital Santo Antônio da Criança de Porto Alegre. Nesse 2° ano da oficina de Música com a professora Grasiela Müller, o grupo vem investindo em novos desafios musicais e fomento do projeto. Acreditam que o beneficio é mútuo e por isso vem projetando os resultados das oficinas em apresentações descentralizadas do bairro, atigindo assim, um maior público.
A apresentação no Hospital surgiu com o pretesto de sensibilizar o espaço através da música e estimular o grupo através dos resultados. Foi uma experiência mágica. Melodias transitavam nos corredores junto com as crianças, pais e profissionais da saúde. O repertório apresentado foi voltado ao universo lúdico da criança. Músicas como A Pulga, Sereia, Tem Gato na tuba e o Trenzinho Caipira trouxeram a tona a imaginação e a proposta de transcender espaços e conretizar a função da Arte.

31 de ago de 2010

CAVALEIROS DA LIBERDADE

Cavaleiros da Liberdade

Eu confio no meu trabalho ,eu confio nos meus alunos, eu confio nos meus colegas, eu confio na minha coordenação, pois quando debatemos, eu encontro um lugar para refletir e reflito com/nos meus colegas, somos nossos espelhos, pensamos e olhamos a vida com a mesma visão.
Eu agradeço por poder transmitir os meus conhecimentos, eu agradeço aos meus alunos por me deixarem participar de suas vidas, , eu agradeço por ter colegas que acreditam que o conhecimento é a diferença, eu agradeço a coordenação que confia em mim.
Eu penso que, com esse trabalho, “euzinha”, Sandra Loureiro não termino em mim, sou Sandra+Dieferson+Shayane+Riquelme+Luís Sadi+ Pablo Escobar(aluno)+Lisi+ândrui...+tantos outros que comigo trocaram suas vidas, pois eles também ganharam Sandra+Edu+ Renata+ Marcos.. + muitas pessoas que querem fazer a diferença. Eu penso que pensar é difícil, mas se alguém me ensinou e eu consegui pensar, e se eu tenho a oportunidade de ensinar alguém a pensar, então tenho esta missão. Penso que somos uma equipe de sonhadores, artistas, sensíveis, LOUCOS, somos loucos? Não, somos LIVRES e queremos libertar os outros de serem obrigados a serem iguais, somos cada um, um, o “seu um”, não temos que ser padronizados, a diferença é que enriquece, pois cada pedaço poderá contribuir, formar um todo, se todos fossemos iguais, não seriamos um grupo, seriamos um pacote de gente, temos direitos aos nossos sonhos e lutamos por isso, vou dividir as minhas fantasias/roupas, minhas fantasias/ilusões, minhas loucuras que fazem do meu mundo um mundo colorido de alegria, sou um convite para outras pessoas habitarem a “TERRA FELIZ”, sim, vivemos numa “net” real e temos que nos conectar, pois “ quem não se comunica se trumbica”.
Nós, artistas, somos o meio, somos multiplicadores. Somos nós,
nós, que amarram, nós que ancoram, nós que dão segurança para que quem está conosco possa voar e ter direito a liberdade, somos nós,
“ OS CAVALEIROS DA LIBERDADE”.

Sandra Loureiro - Oficineira de Teatro