15 de set de 2010

ORÇAMENTO PARTICIPATIVO DO CORPO

Demandas ou Orientações básicas de movimentos para se fazer em casa com segurança, alegria para gerar um bem-estar.
Observações preliminares:
Se for trabalhar em pé, sempre as pernas paralelas em relação às duas cinturas.
Se for trabalhar sentado, sempre, sentado nos ísquios.(os pés do quadril) Se for trabalhar deitado, primeiro colocar o quadril em forma, ou seja. Deitar o corpo todo, flexionar uma perna e depois a outra, nunca as duas juntas e trazer, uma e depois a outra, para cima da barriga, os joelhos tem que estar paralelos ao teto, depois disso, um leve movimento com as pernas de um lado para o outro, quase imperceptível.
Não esqueça; nunca trabalhar o lado do corpo que está com dor primeiro.
Muito importante também: cabeça para um lado e para o outro. Mas isso, só depois que tiver feito algum movimento. Uma boa dupla é automassagem cavidade axilar e cabeça.
Movimentos que rapidamente geral um bem-estar:
Automassagem na cavidade axilar. Atenção: o bom é fazer um braço e depois o outro, só depois fazer os dois juntos.
Braços: rotação interna dos mesmos. Sempre um e depois outro. Se der, depois, os dois juntos. Cabeça é bem vinda também. (para ficar claro, rotação interna é quando o cotovelo vai para fora)
Automassagem nos joelhos, sempre sentado nos ísquios e sempre de dentro para fora. Importante, este movimento também mexe muito com as escápulas, gerando também um bem-estar nos braços.
Movimentos relacionados ao nosso primeiro e mais importante encurtamento:
O importante é crescer os ísquios-tibiais, músculos que começam no calcanhar e terminam na fossa poplítea, ou seja, atrás do joelho.
Sentado: (nos ísquios, é claro), arrasta um pé para frente, os dedos em direção ao teto e o calcanhar rente ao chão... Uma perna de cada vez.
Também sentado, pernas cruzadas, automassagem na batata da perna, sempre do calcanhar para o joelho, volta pelo ar. Atenção: este movimento também pode ser feito deitado.
Deitado, também podemos “crescer” esta região, fazendo assim: uma perna flexionada, ou seja, um pé está no chão e a outra perna está esticada, os dedos dos pés estão paralelos ao teto. Fazer uma boa alça, que é cruzar os dedos atrás do joelho, fazendo uma sustentação para a perna aí então, pé em gangorra, ora sobe os dedos, ora sobe o
calcanhar, parar quando tiver dor, descansar e se der, fazer mais um pouco.
Rebolar, eis a questão; sempre pequeno e discreto. Pés paralelos.
Perceber o que é frente, lado, trás e lado.
Talvez o mais importante de tudo, é saber que nesta técnica, neste conhecimento não há especificamente movimentos abdominais, porque tudo é abdominal, isso quer dizer o seguinte: expiração, ou seja, tirar o ar velho do corpo é sinônimo de entrar, endurecer, a parte baixa da barriga, ou melhor, o baixo ventre, que vai do púbis até o umbigo. O que queremos é tirar um pouco do peso das costas e dividi-lo com a parte anterior do corpo, especificamente com o baixo ventre.
Grande e pequeno enrolamento ou alongamento; um é sentado, menos exigente, trabalha mais os braços, o outro é em pé, e trabalha a coluna toda, cilada: os joelhos
tem que estar sempre ajudando, ou seja; não fazer com a perna esticada Outra dica super importante; sempre que for trabalhar deitado, uma perna sempre terá que estar
Flexionada, (isso quer dizer, pé no chão) para dar mais apoio a lombar.

Bia Diamante

Nenhum comentário: